PokerPT.com

Bryn Kenney e Sergi Reixach negam acusações de batota

26/04/2022
Daniel Fidalgo

O novo escândalo dos high stakes poker já fez correr muita tinta, mas ao que tudo indica ainda vão existir muito mais desenvolvimentos que podem ser alvo de notícia. Por agora, o que temos a registar nos últimos dias foi o sacudir de acusações de ghosting, multi-accounting e uso de RTA (real time assistence) da principal dupla visada: Bryn Kenney e Sergi Reixach.

O primeiro tem sido o mais atacado pela comunidade de poker depois das acusações de Martin Zamali. Suposto líder de “culto de esquema fraudulento” no poker, Kenney veio a terreiro dizer que não existem provas de que isso tenha acontecido e que está inocente. O tweet abaixo deixa ainda no ar que mais detalhes sobre o caso estão por vir a público.

Todavia, ficou por esclarecer o teor da sua relação com Lauren Roberts, que mostrou no twitter algumas conversas privadas entre os dois.

Já o espanhol Sergi Reixach, que supostamente terá feito ghosting e usado RTA na mesa final das WSOP online com Zamani, veio defender-se de todas as acusações e vestiu a capa para defender também toda a comunidade espanhola de poker visada. No Twitter, Reixach optou por deixar um longo texto e também um print das ameaças de Zamani no skype, reforçando que não fez nenhum tipo de ritual e que não foi forçado a fazer nada.

No comunicado pode-se ler:

“Depois de ver a série de tweets e entrevistas de Martin Zamani ontem, sinto-me obrigado a escrever e comentar para negar algumas das acusações que ele fez sobre mim e dar mais contexto a outras acusações.

Em primeiro lugar, acho importante mostrar o estado atual do relacionamento entre mim e o Martin, por isso anexei um print de algumas das minhas mensagens com ele que mostram a raiva e as ameaças violentas que ele me fez. Sinto que ele me culpa por tudo que aconteceu de mal na sua vida, e seu nível de ódio por mim chegou a um ponto em que recebi ameaças de morte nos últimos meses.

Como podem ver, é verdade que o ajudei naquela mesa final das WSOP. Como ele disse na entrevista, eu estava jantando com minha esposa e recebi uma mensagem perguntando se eu poderia ir lá ajudá-lo. Naquela altura, eu já estava a dar-lhe coaching no México. Por isso fui até a casa dele para ajudá-lo na mesa final e aproveitei para dar algumas dicas de como jogar em mesas finais. As coisas não correram bem e fomos eliminados na terceira ou quarta mão. Podem imaginar pela conversa no Skype que foi a primeira e última vez que o ajudei num torneio.

As acusações de ghosting são completamente falsas.

Eu treinei vários cavalos de Bryn [Kenney], tal como @girafganger7 [Bret Stevens].

Durante a entrevista, ele também me acusou de ajudar o seu jogo com um “dispositivo RTA”, como se eu tivesse algum tipo de ‘dream machine’ para MTTs. Isso não é verdade. Pedi várias vezes à GGPoker pelo meu histórico de mãos para conseguir provar que estou a  jogar muito longe do GTO, mas eles não acederam ao pedido. Isto está relacionado com a segunda acusação de que fui alvo:

É verdade que estou banido do GG desde 2020. Segundo a GG, isso deve-se ao uso tabelas pré-flop ilegais. Não vou dizer que nunca usei tabelas pré-flop, ou que as tabelas que usei são ou deveriam ser legais. Eu só vou comentar sobre algo que todos nós sabemos: quase 100% dos jogadores profissionais de poker em algum momento usaram algum tipo de tabela pré-flop e a linha em que essas tabelas se tornam ilegais/antiéticas não é tão assim tão clara e muda de ano para ano, ou de sala para sala.

Como exemplo, há alguns anos, a equipe de suporte de um dos maiores sites confirmou que era permitido ter milhares de tabelas pré-flop estáticas para usar durante o jogo. Além disso, gostaria de salientar que no nível dos high stakes, o uso de tabelas pré-flop é quase irrelevante e serve apenas como um guia inicial, pois em todos os spots deves desviar-te das soluções chip-EV devido ao ICM e a situações futuras do jogo. Algo que faço sempre.

Finalmente, ele fez a acusação de que todos os espanhóis faziam collusion e soft play nos $ 5.000 – $ 25.000. Essa acusação é completamente falsa, e não há uma única prova ou pista que possa fazer alguém pensar que isso aconteceu. Não deveria ser minha responsabilidade defender isto, mas vou fazê-lo de qualquer forma.

Em primeiro lugar, os outros espanhóis não estão banidos e continuam a jogar na GG, embora eu tenha certeza que eu/nós fomos completamente investigados pela sala. Em segundo lugar, não espero que as pessoas “confiem na minha palavra”, mas quero partilhar um pouco da minha experiência. Durante sete anos vivi com o “pablotenisis”, outro profissional espanhol dos High Stakes. Nesses sete anos, ele foi o único com quem troquei açcão em algum torneio. A única vez que estivemos num “spot duvidoso” foi na mesa final do SCOOP 4-Max. Assim que ambos chegamos à mesa final, avisamos o resto dos jogadores que estávamos a viver juntos e que seria melhor fazermos acordo.

A PokerStars fez algumas investigações por conta própria, que foram esclarecidas sem nenhum problema ou hesitação. Só soubemos da investigação depois que o suporte enviou por engano um perfil completo do jogador para Pablo mostrando as informações privadas da PokerStars. “1_conor_1” estava nessa mesa final e pode confirmar que oferecemos o acordo.

Eu e a comunidade de poker espanhola fomos investigados várias vezes pela PokerStars nos SNGs 6-Max turbo e hyper, e nunca fomos banidos.

Eu não fazia bumhunt de forma agressiva. Na realidade, eu provavelmente comecei quase todos os jogos a perder muito chip-EV, às vezes contra jogadores melhores, já que deep play não é minha especialidade.

Olhando para trás, sei que cometi alguns erros e deveria ter agido de forma diferente. Mas é mais que evidente que Martin está a lançar falsas acusações contra mim.”

Aqui fica o print da conversa com Martin Zamani:

Sergi Reixach e print da conversa com Martin Zamani

Para quem não tem acompanhado toda a história, aqui ficam algumas notícias sobre o que te acontecido nos últimos tempos:

€8 Grátis + Bónus 100% até €400

Sem Comentários



Deixe um Comentário