PokerPT.com

‘Considero o Howard um amigo? Não, agora não.’ Phil Ivey revive os tempos difíceis da Full Tilt

04/04/2014
Eduardo

Phil Ivey é a figura de capa da mais recente edição da revista Bluff, na qual se apresenta um extenso artigo sobre, o que muitos consideram, o melhor jogador de poker do mundo. Destacamos a parte em que o próprio Ivey comenta a sua relação com o anterior administrador da 'Considero o Howard um amigo? Não, agora não.' Phil Ivey revive os tempos difíceis da Full Tilt.

A Full Tilt Poker era gerida por Howard Lederer, Ray Bitar e Chris Ferguson, e foi sobre a gestão destes 3 que a sala foi encerrada, sem dinheiro para pagar aos milhares de jogadores de todo o mundo. Mais tarde a sala foi adquirida pela PokerStars, que pagou $750 milhões ao Departamento de Justiça norte-americano.

A compra concretizou-se em 2012, mas as feridas ainda estão bem abertas e Ivey, que era um dos principais rostos entre os jogadores patrocinados pela antiga gerência não se esquece desses momentos.

Na verdade falei com o Howard há um mês. Expressei o meu desapontamento com a sua entrevista (entrevista à Pokernews que podem encontrar aqui). Disse-lhe que a meu ver, algumas das coisas que disse não eram verdade. Ele pensa que tudo o que disse é verdade. O Howard é uma pessoa muito teimosa.

Como está a sua relação com Lederer depois de tudo o que se passou com a sala?

Se considero o Howard um amigo? Não, agora não. Éramos amigos, e sabes, talvez um dia possamos voltar a ser. Sou uma pessoa que aceita o perdão dos outros. Espero que ele melhore. Passou por momentos muito complicados. Ele teve de suportar muitas coisas, e muitas das coisas sobre as quais ouviu bocas se calhar não eram da sua responsabilidade.

Agora que os jogadores norte-americanos da Full Tilt começaram a receber o seu dinheiro de volta, muito se tem falado de como irá reagir a comunidade de poker a um possível regresso de Lederer e Ferguson aos torneios ao vivo, ainda para mais agora que se aproxima mais uma edição das World Series.

No fim de contas os jogadores estão a receber o seu dinheiro. O que se passou e que podia ter-se tornado num desastre, acabou por não ser um desastre. Acho que se o tipo quer aparecer e jogar poker, deve ser-lhe permitido esse direito. Devem deixá-lo sentar-se numa mesa e jogar poker, e não deve ser incomodado. É apenas a minha opinião.

Quando os jogadores da Full Tilt ficaram com o seu dinheiro preso na Full Tilt, Ivey decidiu não ir jogar as WSOP por respeito a esses jogadores. Uma decisão que muito lhe deve ter custado, já que Ivey (dono de 9 braceletes) tem grande apreço pelo maior evento de poker do mundo:

Tento jogar o maior número de torneios possível. Faço-o porque sinto que eles mantiveram-se fiéis ao poker. Ainda conservam todos os eventos. Têm todas as formas de poker. Eles têm todos os diferentes tipos de torneios e esses jogos são uma grande parte do poker. Não é só sobre No Limit Hold’em.

O Tiger Woods do Poker disse há cerca de 4 anos que esperava terminar a sua carreira com 30 braceletes. Desejo que voltou a confirmar:

Se jogar todos os eventos nos próximos 20, 25 anos, acho que sou capaz de o conseguir.

Podem ver o artigo completo aqui.

2 Comentários

Jack_of_Hearts há 8 anos

perdulário significa ser desperdiçador e não ser capaz de perdoar como pelo contexto se infere. :P

litleriver há 8 anos

Como também mamou enquanto a teta deu, acha que o Lederer tem "direito" em jogar as WSOP se assim o entender... é por causa destas coisas que o poker é visto de fora por um jogo controlado por batoteiros e malfeitores... e se calhar não deve andar muito longe da verdade!



Os comentários não são permitidos de momento

Deixe um Comentário