Suécia a caminho do mercado partilhado?

No mês passado foram feitas alterações à lei de jogo sueca que significa que este poderão em breve competir em sites além do operador estatal Svenka Spel e nadar na piscina dos jogadores europeus, segundo a cardschatnews.com.

Após a condenação da UE perante as leis suecas para o jogo, que apenas deixou activo o operador do estado num monopólio efectivo. Assim sendo, os operadores internacionais abandonaram o mercado, com a luta do único operador aprovado a ser contra as Apps de jogo que as lojas online disponibilizavam,

“O jogo não regulado tomou conta e é utilizado em actividades criminais. É tempo de passarmos dos actos às palavras e retomar o controlo do mercado de jogo sueco.” Ministro da Administração Pública,  Ardalan Shekarabi.

A Suécia tem história no mundo do poker, com vários jogadores de renome a surgirem nas várias eras da história do jogo, com destaque óbvio para o campeão 2014 WSOP Main Event, Martin Jacobson (na foto).

A nova lei permitirá que os operadores internacionais possam fazer parte do mercado sueco, com as empresas a poderem requisitar licença desde 1 de Agosto do corrente ano. Os aprovados estarão sujeitos a um imposto de 18%, com a Svenka Spel a ficar em regime de excepção.

A SGA – autoridade de jogo sueca – também receberá novos poderes para conseguir fechar o acesso aos sites não aprovados, sem licença.

Com o sucesso inicial da união de mercados entre França, Espanha e mais tarde Portugal, a Suécia pode ultrapassar a Itália na integração, ainda que não seja público que PokerStars, ou outros operadores, estejam a pensar pedir licença.

Partilha esta notícia

Sem Comentários



Deixe um Comentário

Os comentários efectuados por utilizadores não registados terão de ser aprovados por um moderador. Pode fazer Login ou, se ainda não é membro, Registar-se de forma a poder comentar sem moderação.