PokerPT.com

“Não foi ideal começar com ele, mas era a minha única opção de arrancar o Challenge em Janeiro” Galfond

20/02/2020  /  Luís Sousa Sem Comentários

Phil Galfond está a na sua não-programada pausa e na linha de abertura que tem mantido, aceitou o convite de Joe Ingram para um conversa de cerca de hora e meia onde descobrimos que Ingram foi o dos responsáveis pela forma como Galfond se tem exposto durante a dura downswing na primeira quinzena de sessões do primeiro da mais de meia dúzia de #GalfondChallenge agendados.

O tema central da conversa é o esperado, com o desafio versus VeniVidi1993, o qual está actualmente em pausa, e Phil explica que compreende a preocupação com a comunidade em geral sobre o quase milhão no vermelho, que até já esteve quase a desistir, mas que após uma semana sem pensar em poker será nos próximos dias que irá reavaliar o seu jogo e do adversário para decidir se irá continuar. Segundo o próprio, a análise menicionada, a linha do EV, as side bets podem resultar numa conclusão de que Galfond ainda tem vantagem e assim continuará o desafio. Mas, avisa, é possível o cenário em que recupere €150k mas que da análise de mãos a conclusão seja negativa suficiente para fazer fold ao primeiro duelo.

Antes ainda de avançar para o que virá no futuro próximo, e não só, relevo para a parte em que Galfond entra em maior detalhe no “seu” tilt. Se no começo, o negativo foi fácil de enquadrar no conceito de “isto é uma longa sessão de dezenas de milhares de mãos e só jogamos mil delas” e foi apenas na sessão número 10 ou 11 que este aponta os primeiros sinais de tilt.

Não estava a jogar quente, estava a jogar com medo…” explica Galfond, detalhando que nas últimas sessões o receio de coolers. “Comecei a esperar perder e isso fez-me jogar pior, certamente.

Galfond aceita que mesmo que considere continuar que o desafio estará fora do alcance. Os 45 buy-ins no vermelho em 10 mil mãos parecem-lhe inalcançáveis e Phil admite que uma das suas forças, o reconhecimento de padrões no jogo adversário é frágil em jogos de alta variância, principalmente se o oponente acertar a maior parte das mãos.

Ele [ViniVidi1993] está a ganhar 45 BBs às 100, o que não acho realístico contra um adversário… bonzito [ndt. pretty good]”

Continuar ou seguir para o próximo são as opções e Phil informa que hoje está mais inclinado em prosseguir contra a mais recente estrela do PLO, o anónimo VeniVid1993. Bill Perkins está na calha para arrancar possivelmente ainda em Fevereiro em qualquer dos cenários, com a desistência a eventualmente abrir a porta ao arranque do frente-a-frente com Chance Kornuth.

Nas perguntas do chat, soubémos que Phil não “escolheu” VeniVidi1993 para começar os desafios, mas que a calendarização foi complicada e que o anónimo apresentou a maior disponibilidade para… ser o primeiro.

“Não foi ideal começar com ele, mas era a minha única opção de arrancar o Galfond Challenge em Janeiro.” Phil

A segunda metade do vídeo aborda a boca grande de Luke Schwartz, onde Phil revelou surpresa  apenas no tamanho do post numa observação que demonstra o seu apurado reconhecimento de padrões. Menciona a importância de Farah Galfond e o seu apoio em todas as frentes sem no entanto deixar de explicar que a sua esposa também se demonstra apreensiva com os resultados. Antes das despedidas, Galfond falou do impacto que o #GalfondChallenge está a ter na Run It Once.

Phil revelou que o número de jogadores tem crescido de forma consistente desde o arranque de Dezembro 2019, com apenas um abrandamento na semana que passou, apontando o Legends Program e o desafio como algumas das razões. Fevereiro é mês aniversário da RIO e como tal todas as contas abertas recebem €10 de forma imediata, com ainda um bónus de primeiro depósito especial para além do tradicional. O especial oferece 50% imediatos até €50, enquanto que o tradicional é de 100% e é libertado após completar requisitos. Tudo mais o possível 51% de rakeback através dos programas implementados.

Certo é que a Run It Once ainda não está no verde, algo que Galfond esperava mas que ambiciona estar numa posição diferente ao ano cinco da plataforma. O futuro próximo irá ser dedicado aos Sit&Go, com estes próximos do lançamento e apenas afectados pela decisão em concentrar os esforços técnicos nos desafios do #GalfondChallenge. Phil espera que o marketing destes desafios em 2020 faça crescer o volume total para que os MTTs sejam implementados, com SNG a serem melhores em salas com menor volume, como também são trabalho técnico necessário para MTTs. Nunca é uma perda de tempo.

Espreita abaixo a entrevista completa de Joe Ingram a Phil Galfond:

Bónus de 50%, até um máximo de 50€

 

Partilha esta notícia

Sem Comentários



Deixe um Comentário