PokerPT.com

Entrevista com Lino Cunha

Dando continuidade às estrevistas de balanço do ano 2007, fica uma excelente entrevista com Lino Cunha onde aborda temas como: a diferença entre o jogo live e o jogo online.

Pokerpt.com – Foste um dos jogadores que teve presente em quase todas as etapas Solverde Season, que balanço fazes da tua época e do circuito em geral?

Lino Cunha – Antes de mais gostaria de dar os parabéns a toda a organização do circuito Solverde pela qualidade e pela contribuição para o desenvolvimento do poker em Portugal.
Em relação a minha prestação, considero-a bastante positiva pela consistência de resultados que apresentei. Apesar de não ter feito nenhum grande resultado consegui estar várias vezes nas fases mais avançadas dos torneios.

Pokerpt.com – Conseguiste fazer final table no Solverde #6 onde os primeiros 4 jogadores a serem eliminados tinham todos AA na mão. Podes relembrar-nos como foi a tua saída e os sentimentos desse momento?

Lino Cunha – Fiquei com a sensação que o poker muitas vezes é ingrato pois sempre que temos um AA esperamos ter alguma acção, para podermos aumentar significativamente a nossa stack. Neste caso tive-a, fiquei com a sensação que iria dobrar a minha stack pois o jogador que foi all-in tinha sensivelmente as mesmas fichas que eu. Já começava a sonhar em lutar para chegar a HU e foi então que veio o balde de água fria quando ele acabou por fazer “runner-runner” sequência no river.

Pokerpt.com – Apesar dessa Final Table o teu grande momento do ano foi no WPT Barcelona onde ficaste em 21º e conseguiste conquistar 10.800€ contra os melhores jogadores do Mundo. Quais foram as principais diferenças que sentiste de jogar contra esse tipo de jogadores e os que enfrentas regularmente em Portugal?

Lino Cunha – Sempre quis jogar num torneio deste nível, para saber como era jogar contra os melhores. A principal diferença encontrei-a no meu próprio jogo. Já que tinha conseguido qualificar-me para este torneio encarei-o muito a sério, pois queria tirar o máximo partido desta oportunidade e consegui-o. A diferença em relação ao nível em que se joga em Portugal é enorme. Nota-se em todos os aspectos: o tempo que cada jogador demora a tomar as decisões, a qualidade das mesmas, a maneira como jogam em função da stack e das blinds e a forma como exploram a fraqueza de alguns jogadores (menos experientes ou mais fracos).

Pokerpt.com – Dos habituais jogadores portugueses, tu és dos que tens mais experiência de jogo ao vivo. Como vês o surgimento dos novos valores do poker online e como te adaptas a jogar contra eles?

Lino Cunha – A jogar “online” não me adapto a eles porque estão muito a minha frente. Sinto que quem quiser jogar “online” tem mesmo de estudar o jogo e praticar muito, o que não acontece num jogo “live”. Acho que era bom o surgimento de uma boa escola de poker em Portugal para ajudar todos aqueles que estão a começar a jogar na net.
Em relação ao jogo “live” penso que não é estudando que se consegue evoluir mas sim jogando e tentando perceber a melhor forma de jogar em cada mesa. Posso dar um exemplo: um bom jogador “online” a jogar live com KK utg ao fazer o seu standard raise de 3,5 a 4 bb’s vai levar 5 a 6 calls porque a jogar live chama-se “marisco” a esse tipo de apostas. A partir daí ele já não sabe jogar a mão porque o jogo “live” é mesmo assim. Este é só um exemplo de muitas diferenças que os dois jogos têm.

A jogar live acho que são eles que têm de se adaptar a minha forma de jogar.

Pokerpt.com – Ainda tiveste mais uma participação interessante no EPT Dublin, onde voltaste a conseguir a entrada pelos Super satélites. Vais tentar repetir essa experiência em 2008? Quais os principais objectivos para a época que está a começar?

Lino Cunha – Se puder claro que tentarei repetir a experiência em 2008 pois este tipo de torneios acho que é o sonho de qualquer jogador. Aconselho a todos que não percam a oportunidade de participar nos satélites “live” para estes torneios, sempre que puderem. Isto porque vão evoluir muito, conhecer outros países, verem como outros jogadores abordam este jogo e como se joga fora de Portugal.

Os meus objectivos para o próximo ano são tentar levar o poker mais a sério pois era um jogo que eu nem gostava de jogar pela monotonia. No entanto, depois do WPT, comecei a ter outro prazer em jogar.

Para quem está a começar no poker aconselho a estudar bastante o jogo e a treinar muito em níveis baixos e subir só em função da banca.

Desejo um 2008 cheio de vitórias para o poker nacional e consigamos aumentar ainda mais a qualidade das prestações internacionais que tivemos este ano. Boa sorte para todos e não desanimem aqueles que não encontrem grandes resultados no curto prazo pois o poker é um jogo de paciência.

Partilha esta notícia

Sem Comentários



Deixe um Comentário

Os comentários efectuados por utilizadores não registados terão de ser aprovados por um moderador. Pode fazer Login ou, se ainda não é membro, Registar-se de forma a poder comentar sem moderação.