Executivos da Federated Sports + Gaming tentaram sacar quase $500k da HPT depois da bancarrota

Revelados os documentos anexos ao processo de pedido do Chapter 11, sob o designío da bancarrota, ficamos a saber que os criadores da Epic Poker League tiveram sempre a corda na garganta, pois nem sequer a primeira prestação da aquisição da Heartland Poker Tour conseguiram pagar, e devem mais de $5 milhões a mais de 100 credores.

A Federated Sports + Gaming foi criada por Jeffrey Pollack e Annie Duke, duas pessoas que o Team PokerStars.pt Pro – Daniel Negreanu, apelida de serem o parceiro de negócios ideal um do outro (e não pelos melhores motivos como podem ver no vídeo que podem encontrar no link).

A Epic Poker League, principal bem da Federated Sports + Gaming (FSG), foi apresentada com 4 Eventos na primeira temporada, e ainda um Freeroll de $1 milhão para os melhores 27 jogadores ao longo dos 4 eventos iniciais. Além disso em cada torneio seriam acrescentados $400,000 ao prizepool, e como se não bastasse, os torneios principais de cada etapa não tinham fee.

Sendo tudo dinheiro a sair, de onde ia a FSG buscar dinheiro? A primeira tentativa foi o comprar espaço televisivo para a transmissão dos eventos Epic Poker League, tentanto mais tarde rentabilizar o mercado publicitário em redor dessas transmissões mas a Black Friday curtou e muito estas pretensões.

O segundo passo que os executivos da FSG tentaram para angariar receitas foi a aquisição da Heartland Poker Tour (HPT). Um circuito de torneios de poker ao vivo, disputado em 15 estados dos EUA, e que ainda a semana passada celebrou o seu 100º torneio com a vitória de Will Failla. O negócio de aquisição da foi acordado em $2,950,000 e foi concretizado em Junho passado. A All In Productions, empresa que vendeu este circuito à FSG não recebeu sequer a primeira parcela desta venda, tendo apresentado uma queixa judicial contra a FSG por esta ter falhado essa parcela de 30 de Setembro (um milhão de dólares). O negócio de aquisição da HPT previa ainda que a FSG deveria ter pago a totalidade da HPT até 15 de Dezembro de 2011, de acordo com os documentos agora revelados, pagou zero.

Não tendo pago à All In Productions, a FSG foi ainda pedir $2 milhões emprestados à Pinnacle Entertainment, com uma promissória datada de 9 de Janeiro de 2012. Destes $2 milhões, $1 milhão foi utilizado para pagar à All In Production conseguindo assim uma extensão até 31 de Março para pagar o valor restante respeitante à aquisição da HPT.

A promissória entregue à Pinnacle tinha como data de pagamento 29 de Fevereiro de 2012, mas a 28 de Fevereiro a FSG aderiu ao Chapter 11, por bancarrota. Ao fazerem o pedido neste dia a FSG evitou que a All In Productions reavesse a HPT.

Apesar deste pedido de adesão ao Chapter 11 por bancarrota a 28 de Fevereiro, os executivos da FSG utilizaram $458,092 da HPT para salários da FSG respeitantes aos meses de Março, Abril e Maio de 2012.

Entretanto sabe-se agora que a Federated Heartland, empresa criada para supervisionar a HPT, apresentou uma moção de emergência, pois os seus funcionários não receberam salários durante Fevereiro (mês em que se celebrou o seu centésimo torneio, e quando os executivos da FSG tentaram sacar os quase $500 mil da HPT para pagar os seus próprios salários, movimento recusado pelo Tribunal). O total de salários em falta é de $42,898.70.

Muitos jogadores não se mostraram nada surpreendidos com a bancarrota da Federated Sports + Gaming.

Partilha esta notícia

Sem Comentários



Deixe um Comentário

Os comentários efectuados por utilizadores não registados terão de ser aprovados por um moderador. Pode fazer Login ou, se ainda não é membro, Registar-se de forma a poder comentar sem moderação.